Entrevista de Lula hoje (31/05/2022) Jornal Gente /RS

Acho que Lula terá uma vitória maiúscula. Já é o maior favorito que tivemos em todas as eleições. Nunca tivemos um candidato no início de junho com o tamanho que Lula tem hoje, nem mesmo Fernando Henrique Cardoso  [que já venceu uma eleição presidencial no primeiro turno] Lula provavelmente terminará esta eleição com a maior vitória eleitoral da história política brasileira. Vamos parar de cultivar a imagem de que a eleição está em aberto porque, para o povo, não está.

Marcos Coimbra - sociólogo e presidente do instituto de pesquisa, Vox Populi

Tijolaço do dia

O "Belo Antonio"

O espetáculo é dantesco, um triste e trágico show de horrores.

Depois de mandar a mulher chorar por proteção divina ao governo, dar “carona” numa rede oficial de rádio e televisão e preparar gravações para em que ela entre nos lares brasileiros defendendo a família e a moralidade, Jair Bolsonaro submete Michelle a uma patética combinação num programa classe “Z” de televisão a dizer que ele é “imbroxável”.

É assim que pretende conquistar o voto feminino, no qual, como publica hoje a Folha, as pesquisas o dão em franca rejeição. É esta a “qualidade” de Jair, ser um ícone de virilidade?

É esta a campanha do “Deus acima de tudo”?

Mas ele capricha, porque que tudo é “zueira” (sic) e dá a ele a imagem de “homem do povo”, machão, grotesco e exibido.

Bolsonaro parece um remake sórdido e desqualificado de um velho e clássico filme de 1960, O Belo Amtonio (que me perdoem Marcelo Mastroiani e e Claudia Cardinale, os protagonistas), no qual o pai propagandeava a volúpia do tal Antônio, o que aumentaria o seu reconhecimento social. Leia só o que narra – 60 anos depois, não há spoiler – o crítico Sergio Vaz, na sinopse do filme:

Belo Antonio vai fundo na radiografia de como era atrasada, arcaica, estúpida, suja a sociedade siciliana. Os maiores valores eram a riqueza, as posses, as aparências – e o desempenho sexual dos homens. O macho é o dominador, a mulher é sua escrava. A mulher vale pouco mais que o cocô do cavalo do bandido.
Dos homens exigia-se que comessem o maior número possível de mulheres. Das mulheres “de bem” exigia-se absoluta castidade até o casamento – e fidelidade total e absoluta ao marido.
O trabalho, o emprego, tudo se baseia nas amizades, no quem indica. Respeitável, honrado é quem desfruta da amizade dos poderosos. O Estado serve para dar emprego aos que já eram ricos, já tinham poder.
Não há propriamente vida privada – tudo tem que ser exposto a todos. Pai e mãe de Antonio abrem a janela de seu apartamento e gritam para os vizinhos as suas conquistas, os seus privilégios – da mesma maneira com que todas as famílias agem também.
Todos sabem o que acontece na intimidade das casas de cada pessoa.

Nunca achei que aquele filme pudesse virar uma crônica dos tempos que viveria meu país na segunda década do Século XX, nem que o Brasil fosse, como foi a Sicília, à terra dominada por uma máfia, assassina, sórdida e hipócrita. E que seu presidente, em matéria cuidar da felicidade do povo, fosse um Belo Antonio.
Tocador de vídeo
00:00

Originalmente publicado no Tijolaço, por Fernando Brito

Lula: ninguém pode sentar na cadeira antes


(...) Mas, se eleito presidente pela terceira vez, a primeira coisa que farei depois da posse é marcar uma reunião com os 27 governadores, porque um presidente responsável tem de conversar com governadores, prefeitos, parlamentares, trabalhadores e empresários para resolver os problemas do país. Não ficar fazendo live para espalhar mentiras (fake news).
Lula presidente 2022

Petrobras vende terreno da prefeitura de Fortaleza


Lubnor foi vendida 74% abaixo do que foi avaliada e com área pública pertencente a prefeitura de Fortaleza -  Ceará

O Observatório Social da Petrobrás (OSP), organização ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), teve acesso a um documento interno da estatal que informa a existência de áreas públicas dentro da Lubnor (Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste), vendidas junto com a refinaria por US$ 34 milhões.

O OSP apurou que cerca de 30% do terreno, onde a refinaria está instalada, pertence à Prefeitura de Fortaleza e a negociação dessa área pública teria sido concluída sem a autorização da administração municipal. O terreno foi cedido à Petrobrás em 1974, por meio de uma lei municipal (nº 4.416).

O documento interno da Petrobrás, assinado pelo gerente geral da Lubnor, Marcelo Silva Pereira de Lyra, no mês de abril, informa que a empresa constituiu uma “comissão para avaliação das áreas pertencentes ao município de Fortaleza, localizadas dentro dos muros da Lubnor, visando sua aquisição”.

“Esse documento revela que a Petrobrás estava buscando comprar as áreas públicas antes de finalizar a venda da refinaria, o que, pelo visto, não ocorreu. Sabemos, inclusive, que a companhia chegou a fazer uma proposta pelo terreno, mas não ouve acordo, já que o preço oferecido era quatro vezes inferior ao valor estimado pela prefeitura”, afirma a advogada do OSP e da FNP, Raquel Sousa.

Segundo ela, o fato de a venda não ter o aval do proprietário de parte da área pode invalidar a negociação, caso a prefeitura decida questionar juridicamente a Petrobrás.

Na prática, de acordo com a advogada, a estatal vendeu terrenos que não são dela, o que significa que a Petrobrás poderá ainda ter que indenizar o município de Fortaleza ou mesmo arcar com os custos de compra das áreas, caso a transação não seja anulada.

“Corre-se o risco de que o valor gasto para regularizar a questão dos terrenos possa ser superior ao que a Petrobrás irá receber pela venda da refinaria”.

A Petrobrás vendeu a Lubnor por US$ 34 milhões, sendo que US$ 21 milhões serão pagos de forma parcelada.

“Mas não se sabe em quanto tempo e nem em quantas parcelas. Se o preço de venda do ativo já é irrisório, imagina agora com esse agravante dos bens públicos”, destaca Raquel.

Analistas do BTG Pactual consideram que o preço de venda da refinaria ficou 74% abaixo do valor de avaliação pelo banco de investimentos.

A advogada explica que, em todos os outros negócios fechados pela Petrobrás o ativo era entregue sem qualquer ônus ao comprador.

“Até porque se houvesse ônus, deveria estar expresso no contrato da negociação e no próprio fato relevante, divulgado pela companhia, o que não aconteceu”, argumenta.

De acordo com ela, os petroleiros vão entrar com uma ação na justiça, pedindo a anulação da venda da refinaria do Ceará.

por Alessandro Martins - OSP - Observatório Social da Petrobras 
Nota da prefeitura de Fortaleza

  Em nota, a Prefeitura de Fortaleza disse que aguarda a confirmação da compra do terreno em questão, que precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), e o contato formal da empresa compradora.

A cessão de 60.489,98m2 (cerca de 30% do terreno), que corresponde a quatro vias públicas, foi feita na década de 1970 e só é válida para a Petrobrás.

Com a venda, a compradora precisa iniciar o diálogo com a gestão municipal, que deve ser ressarcida. Não havendo acordo, o caso deve ser judicializado, já que parte do terreno pertence ao Município de Fortaleza.

Sertaneja acertando show


Lula presidente 2022

Consulta médica

Isso (abaixo) está acontecendo em alguma cidadizinha do nosso amado Brasil:

- Nosso estoque de medicamentos acabou. O jeito é receitar um show de algum cantor sertanejo. Como tua saúde exige cuidados vou passar logo dois. Um show com Gustavo Lima e outro com Bruno e Marrone. 


André Marques sai da Globo


Depois de 27 anos na Rede Globo o ator e apresentador André Marques (o Mocotó) deixou a emissora. Hoje segunda-feira (30) ele anunciou sua saída em nota. A empresa confirmou a informação e afirmou que ele seguirá no É de Casa até o dia 2 de julho.

No Instagram ele escreveu: "Na Globo cresci, fiz amizades pra vida, operei meu estômago, uma mudança grande na minha VIDA!
( VIVI) Uma linda relação com a Globo. Sou só Gratidão. E depois desses quase 30 anos de um casamento feliz, fiel e cheio de amor… conversamos bastante, e em comum acordo, decidimos nos separar no papel ! Rsrs." 

"Agora, continuaremos grandes amigos, podemos ficar às vezes – ou não -, namorar, casar novamente, amizade colorida.. ou não ..rs Uma relação ABERTA rsrsrs. Mas o fato é que o meu amor, respeito e nossa história Juntos, Ninguém vai apagar ! As portas continuam abertas, para ambos os lados."

"A partir de Agosto, sigo com meu sonho antigo Chegou a hora de colocar meus projetos e sonhos em prática. Serei meu próprio chefe! A todos que me acompanham e torcem por mim, meu muito obrigado! Conto com vcs ! Vocês sabem das minhas paixões ….. gastronomia, musica e DOGS !! Vou realizar meus projetos pessoais e meus sonhos… Há muito tempo guardados!"

"Vou cozinhar por esse Brasil e pelo mundo, e levando vcs comigo pela tela da tv , do celular , do computador e no coração , sempre! Assim que eu puder… conto mais detalhes do que vem por ai pra vcs ! ( Ansioso rs )
Pq antes.. rs vou tirar umas férias ta?!? rsrsrs Vamo q vamo ! Sou feliz e serei cada vez mais ! Amém ! Pq realizar sonhos, não tem preço!"
Lula presidente 2022

Artigo do dia, por Aldo Fornazieri

Datafolha, Lula, Bolsonaro e Tebet 

A pesquisa Datafolha causou grande impacto no meio político e jornalístico. Com uma diferença de 21 pontos de Lula sobre Bolsonaro (48 X 27), praticamente todos os indicadores do ex-presidente melhoraram e todos os do presidente pioraram. Ciro pontuou 7% e Simone Tebet 2%. Com os dados da pesquisa, Lula venceria no primeiro turno.

Como não é possível comparar, em termos absolutos, esta pesquisa com a pesquisa anterior do Datafolha, que trazia outros candidatos, e nem mesmo com pesquisas de outros institutos por conta das diferenças de metodologia e outros fatores, esta pesquisa precisa ser analisada pelos seus resultados em si. Mas em termos relativos, contudo, é verdadeira a afirmação de que os resultados obtidos por Lula melhoraram significativamente e os de Bolsonaro pioraram na mesma medida.

Já que não houve nenhum acontecimento de impacto que forneça uma explicação evidente para estes resultados, parece que eles se constituíram a partir de uma soma de alguns fatores. Aparentemente, as desistências de Sérgio Moro e de Dória influíram pouco nos dados da pesquisa.

Quais os fatores que contribuíram para a melhora dos indicadores de Lula? Em primeiro lugar, Lula conseguiu superar aquele momento de titubeante de abordagem de pontos que constituíam uma agenda negativa. O lançamento da pré-campanha Lula-Alckmin foi o momento da virada. O evento criou um clima positivo, tanto entre ativistas e militantes, quanto nos eleitores. As resistências a Alckmin se reduziram na esquerda e os eleitores de centro se sentiram mais confiantes em apostar em Lula.

Se o discurso de Lula mais centrado redimiu desconfianças, o seu casamento com Janja gerou empatia. As lembranças do eleitorado dos bons momentos do governo Lula, em termos econômicos e sociais, comparando com as aflições, sofrimentos, vicissitudes e desesperança sob o governo Bolsonaro, conferem inquestionável vantagem a Lula.

E aqui entram os fatores que provocam a deterioração dos indicadores de Bolsonaro. O mais importante é a crise econômica, a erosão do poder aquisitivo, o desemprego, a ausência de perspectiva de futuro. A miséria social e a fome se agravam. Andar pelo centro de São Paulo é um espetáculo deprimente: o número de moradores de rua é espantoso. As redes de solidariedade são unânimes em dizer que as estatísticas  da Prefeitura de São Paulo sobre o número de moradores de rua estão subestimadas. São homens, mulheres, crianças e famílias inteiras errantes nas ruas, trilhando as sendas do desespero do presente e da morte do futuro.

Mas não é só isso. Setores sociais crescentes, inclusive áreas de influência da direita, mostram-se cansados e exauridos pelas intermináveis arruaças que Bolsonaro promove diariamente. Ele não deu sossego em nenhum dia à sociedade: são brigas, intrigas e mentiras diárias. Esses setores percebem cada vez mais que Bolsonaro não governa, não trabalha. O governo age contra o povo. Não há plano para a economia. Paulo Guedes virou piada na opinião pública mais informada. A troca constante na presidência da Petrobras, sem que haja solução nenhuma para o preço dos combustíveis, contribuiu para mostrar que Bolsonaro e sua equipe econômica são incompetentes.

Parcela importante da sociedade cansou também da interminável e até assustadora defesa da liberação das armas. Essa situação se torna ainda mais preocupante com o crescimento de assaltos e da prática de crimes violentos de grande repercussão. A carnificina promovida pelas polícias do Rio de Janeiro e PRF vem causando repulsa em muita gente. A morte de Genivaldo de Jesus Santos na câmara de gás da Polícia Rodoviária Federal vem sendo vista como um crime bárbaro e como um cruel ato de desumanidade. É socialmente perceptível e inegável a associação dessa violência desmedida, covarde e inaceitável com a figura de Bolsonaro, até porque ele a defende publicamente.

Setores sociais significativos esgotaram sua paciência com os injustificáveis ataques às urnas eletrônicas, ao TSE e ao STF. Já se percebeu que eles são desprovidos de razão, de lógica e de justificativa. Eles também passaram para o campo da arruaça, por coisa de um encrenqueiro contumaz. A lista de passivos, de desatinos e de negatividades de Bolsonaro é longa. Vem sendo construída desde os primeiros dias de governo. Se é verdade que Bolsonaro é golpista e que deseja o golpe, muitos passaram a ver essa ameaça como uma fanfarronice.

Num primeiro olhar, a pesquisa Datafolha indica também a inviabilidade da terceira via. O espaço para uma candidatura de centro, contudo, continua existindo. Neste ponto é preciso prestar atenção para os dados da pesquisa espontânea: Lula aparece com 38% dos votos; não sabem, com 29%; e Bolsonaro com 22%. Esses 29% indicam a existência do espaço político e eleitoral para uma candidatura de centro Mas existem dois problemas: esse candidato não existe e o centro está desprovido de capacidade e de inteligência política para ocupar esse espaço. O PSDB escreveu o manual e a história de sua autodestruição e o MDB, com suas eternas divisões, não consegue engrenar de forma eficaz a candidatura de  Simone Tebet.

Se a candidatura de Tebet for capaz de reunir mais competência e inteligência em torno de si, ela poderá agregar votos de indecisos e de um possível derretimento maior de Bolsonaro. Mas para isto terá que escolher Bolsonaro como alvo a ser derrubado, o que parece difícil por conta da desinteligência que a cerca. Essa candidatura teria que dimensionar também claramente seus objetivos. Deveria considerar como objetivo e como êxito alcançar uma votação de dois dígitos. O que viesse acima disso seria lucro.

Mesmo considerando a posição privilegiada e confortável que a pesquisa Datafolha confere a Lula, é preciso levar em conta o fato de que o bolsonarismo agora volta suas baterias contra a campanha lulista. Isto porque a ameaça imediata a Bolsonaro, ao menos num primeiro momento, não é mais o possível crescimento de uma candidatura de centro, mas a vitória de Lula no primeiro turno. A artilharia robótica bolsonarista já direcionou seus ataques para frear esta possibilidade. O jogo será pesado e cruento. A campanha lulista deveria aprimorar sua estratégia digital para enfrentar a fábrica de mentiras e para assentar contra-ataques certeiros nas muralhas fendidas de Bolsonaro.

Aldo Fornazieri - Professor da Escola de Sociologia e Política, tem licenciatura em Física pela Universidade Federal de Santa Maria, é autor do livro Liderança e Poder
Lula presidente 2022

Pesquisa presidencial BTG/FSB


Conforme dados de pesquisa do Instituto FSB, feito sob encomenda do banco BTG/Pactual, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aumentou a vantagem de intenções de votos para ser eleito pela 3ª vez presidente da República do Brasil.

Na pesquisa estimulada, Lula cresceu cinco pontos percentuais em relação ao levantamento realizado em 25 de abril. O presidente Jair Messias Bolsonaro estagnou e permanece com os mesmos números da pesquisa do mês passado.

Se a eleição fosse hoje Lula seria eleito no primeiro turno com 51% dos votos válidos.  
Lula presidente 2022

Bom dia!


Eu tenho um compromisso com o povo brasileiro. Quero resolver o problema do desemprego, da fome, da falta de investimento na educação, saúde e segurança pública. Também quero, junto com o povo, promover as mudanças econômicas que o Brasil precisa.
Lula presidente 2022

A benção do casamento de Lula e Janja

Movimentos populares com Lula

Mensagem da tarde

Um sujeito descrente e sem educação perguntou a um colega religioso que rezava diariamente, várias vezes: 
- O que você ganha rezando tanto? O companheiro respondeu:
- 🙏🏼 Não ganho nada. Mas sim, *perco muitas coisas*. 
E citou tudo o que perdeu orando a Deus:
- Perdi o orgulho.
- Perdi a arrogância.
- Perdi a ganância.
- Perdi a inveja.
- Perdi a minha raiva.
- Perdi a luxúria.
- Perdi o prazer de mentir. 
- Perdi o gosto pelo pecado. 
- Perdi a impaciência, o desespero e o desânimo. 
Às vezes oramos, não para ganharmos algo, mas sim, para perder coisas que não nos permitem crescer espiritualmente. 
A oração educa, fortalece e cura.
A oração é o canal que nos conecta diretamente com Deus.

 VAMOS ORAR, TEMOS MUITAS COISAS A PERDER!!!

Tijolaço dominical


O processo social empurra Lula.

Medir, pesar, comparar.

É por isso que apesar da inclemente e constante campanha da grande mídia contra a honra de Lula o favoritismo do ex-presidente é crescente - nossa elite não admite, em hipótese alguma, que alguém que venha do povão possa governar o país  -.

Não cabe a Lula, portanto, “polarização” das eleições, mas à política de terra social arrasada que o conservadorismo brasileiro se entregou depois da derrubada da série de governos petistas que se iniciou em 2003.

Teve tudo o que precisava: ampla maioria parlamentar, apoio da mídia e do empresariado, instituições dóceis para com eles e ferozes com os então vencidos, ao ponto de encarcerar, com processos tão histéricos quanto frágeis, alguém que foi e ainda é considerado o melhor presidente que o país já teve. Mas, ainda assim, precisou apelar para um selvagem tosco e violento para conseguir ganhar a eleição.

Agora, nem com ele e com a estarrecedora transformação da religião em partido político isso parece ser possível repetir. Há mais de um ano, com a tal Terceira Via, buscaram uma alternativa e todos os caldos que saíram de seus caldeirões de feitiçaria naufragaram. Já quase não cabem nos dedos de uma mão os que se dissolveram por artificiais: Luciano Huck, Luiz Mandetta, João Amoedo, Alessandro Vieira. Rodrigo Pacheco, Sérgio Moro, Eduardo Leite e João Doria (obrigado pela lista, Bernardo Mello Franco).

Simone Tebet e Ciro Gomes restaram para fazer o papel de “fechar fila”, ao lado do desconhecido André Janones, sem nenhuma perspectiva plausível de virem a sair desta condição.

Bolsonaro engolfou a direita inapelavelmente, mas, ao fazê-lo, também deixou-a incapaz de ir além de seu próprio tamanho, perto de um terço do eleitorado.

Lula, ao contrário, ampliou-se e atinge o teto de intenções de voto em todas as suas candidaturas (48%) e um nível de rejeição (33%) comparável ao que tinha em 2002, em sua primeira eleição, quando tinha 31%.

Não se espante se ele caminhar para uma vantagem ainda maior de agora por diante.

É o processo social agindo, como dizia Leonel Brizola, na formação de uma consciência coletiva.

Publicado originalmente no Tijolaço, por Fernando Brito

Virada Cultural em SP

Público canta "Olê, olê, olá, Lula!" e manda Bolsonaro tomar no cu.

Frase do dia

Bolsoasno disse que só Deus vai tirar ele lá do Palácio do Planalto. Ele vai aprender que a voz do Povo é a voz de Deus, e o Povo vai expulsar ele de lá. Não serei eu, não será o Alckmin. É o Povo!
 
Lula presidente 2022