Charge pra jamais esquecer

Um oficial reformado membro de um clube militar disse que há "togas não serviriam de pano de chão, pelo cheiro podre que exalam". 
Tem muita verdade nesta frase.
Mas, com certeza fede menos que fardas suja de sangue de torturados e assassinados por covardes a serviço da ditadura militar. 

Carnaval 2022

O Carnaval é a festa mais democrática do Brasil, e também a mais hipócrita
Maria o nosso desfile foi lindo, deslumbrante, maravilhoso,  mas acabou. Agora, cada uma no seu devido lugar. Eu sou a madame. Você a empregada, entendeu?

Desratização política

Nesta eleição o objetivo principal é eleger candidatos que tenham democracia como princípio inegociável. Fazendo a escolha correta automaticamente será feita a desratização da política, pois a última coisa que um 🐀 bípede suporta é a democracia plena. Pesquise, analise criteriosamente o histórico do candidato que pretende eleger. Meu voto para presidente será em Lula, os demais 13. 
É o PT quem defende você!

Frase da tarde

Sempre lavo a louça com alegria 
Sorrindo 😃 
Cantando 
Pois se estão "sujas" é porque estavam ocupadas com alimentos. 
Lavo e agradeço pelo pão de cada dia. 

Uma humorista no Instagram

"Adoro falar mal e fazer piada do bozocaro"
Um verminoso doente comenta: "É, mas quando Lula era presidente você não fazia piada nem falava mal dele".
Resposta ao comentário: "Verdade. Acontece que naquele tempo eu não era humorista, trabalhava normalmente e não faltava emprego".

O verminoso podia ter ido dormido sem essa.
Lula presidente 2022

Lula e a juventude em Heliópolis

Conversar com a juventude é mais que necessário para inclusão e reconstrução da democracia no Brasil. Um país plenamente democrático é aquele que os jovens participam ativamente da política e tem seus direitos respeitados. Educação, cultura, emprego e renda tem de ser oferecida a periferia da mesma maneira que nos bairros mais chic da sociedade brasileira. Igualdade de oportunidades é fundamental.

Lula presidente 2022

Será que tem algo a ver com o induto?


Será que o brucutu daniel silveira sabe algo sobre a morte da vereadora Marielle Franco envolvendo o verme e a famiglia miliciana? É muito estranho...
***

a graça não é de graça… nem na igreja, nem no circo”, cacique papaku

Por Lelê Teles*

Assim que o STF, por esmagadora maioria, deu uma surra de gato morto em Daniel Silveira, condenando-o a ficar oito anos e nove meses vendo o sol nascer em outro formato geométrico, Bolsonaro saiu desesperadamente em sua defesa.

Menos de 24 horas após a sentença do tribunal, antes mesmo de secar o carimbo e a assinatura do relator, o maluco que nos preside fez publicar, monocraticamente, um decreto concedendo o benefício da graça (perdão judicial) ao rasgador de placa.

Com isso, tal qual o bombadão, o Presida rasgou, com os dentes, a Constituição Federal, segundo alegam alguns constitucionalistas.

Recordemos que o Necrarca já havia ficado furibundo quando o capa-preta, Alexandre de Moraes, terror dos inconstitucionalistas, mandara colocar uma tornozeleira eletrônica nas canelas de Silveira, obrigando o sujeito insolente a caminhar pelos salões do Congresso como um papagaio doméstico: currupaco, papaco, currupaco, papaco…

Na ocasião, os inconstitucionalistas bolsonarizados alegavam que Alexandre agira como um ditador, porque tomou uma decisão monocrática.

Porém, agora foi a maioria dos ministros que decidiu que o sujeito do paletó apertado deveria trocar a tornozeleira eletrônica por uma bola de ferro no calcanhar.

Isso deveria servir como uma ducha de água fria na retórica inconstitucionalista bolsonáurica.

Só que não, após o golden shower da Suprema Corte, o Necrarca voltou a afrontar o Estado Democrático de Direito, rasgando a sentença lavrada contra o seu papagaio de estimação.

Na real, é como se ele tivesse conseguido o que sempre quis, fechar o Supremo; sem jipe, sem cabo e sem soldado.

Agora pense que grande fuleigarem seria se a Corte Suprema mandasse prender um dos três filhos enrolados do Presida, se o cabra não iria lá no palacete e esbofeteava o ministro careca na frente das câmeras, will smiticamente!

Veja a esculhambação que virou essa República desde que os ministros se acovardaram com a ameaça de um militar da pica mole e legitimaram a sacanagem que os inconstitucionalistas fizeram contra a Dilma e contra o Lula.

Como diabos vamos devolver esse demônio pra dentro da garrafa novamente?

Lula presidente 2022

O verme pretende indutar mais cumplices

O verme optou em ir para a guerra contra o STF (Supremo Tribunal Federal) após conceder a graça ao deputado federal Daniel Silveira (PTB) na última quinta-feira (21). O presidente pretende ampliar esse tipo de decreto e já se fala em garantir indultos a outros aliados que também sofreram sanções da Corte dentro de processos semelhantes ao do deputado.

Segundo o jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles, Bolsonaro já teria avisado pessoas mais próximas que irá assinar outros decretos de indultos, principalmente para nomes que foram presos o defendendo. É o caso de Roberto Jefferson, Osvaldo Eustáquio e Allan dos Santos.

Se levar o plano adiante, o presidente abrirá uma guerra sem precedentes contra o Supremo e tentará livrar da prisão todos os seus aliados que atentaram contra a democracia, mesmo sabendo que a tendência é que todos os decretos devem ser derrubados em seguida.

Roberto Jefferson, atualmente cumpre pena em regime domiciliar após ter aparecido até com armas em punho falando em fechar o STF. Já o jornalista Osvaldo Eustáquio está preso já há bastante tempo depois de atentar contra o Supremo e contra a democracia. Ele chegou a sofrer acidente dentro da prisão e alegou que ficaria paraplégico.

Allan dos Santos é o caso mais delicado por afrontar o Supremo e o ministro Alexandre de Moraes por diversas vezes e ser considerado foragido no Brasil. Ele vive nos EUA e o STF chegou a pedir a inclusão dele na lista vermelha da Interpol após ter o pedido de prisão confirmado por Moraes.

Diário do Centro do Mundo
Lula presidente 2022

Solidariedade política

Lula presidente 2022

Lula: moradia popular é Investimento


Nenhum setor econômica gera emprego mais rápido do que a construção civil. Nenhum setor  econômico distribui mais renda que a construção civil. Nenhum setor econômico garante mais dignidade a família que ter uma casa para morar, não precisar pagar aluguel no final do mês e ter a certeza que tem onde possa descansar em paz depois de um dia cansativo de trabalho. Por isso, e muito mais é que criamos o Minha Casa, Minha Vida. E tenham certeza: vamos construir mais e melhores moradias para quem mais precisa. 

Inflação dos alimentos

Maior preço em 100 anos encerra era da comida barata

Você lembra quando a cesta básica, o gás de cozinha, a gasolina, a energia Era barata?
Você lembra em quais foram os governos que o salário mínimo teve 76% de aumento real?
Lembre e compare os governos petistas de Lula e Dilma com os desgovernos golpistas e entreguistas do Temer (traíra) e Bolsonaro (verme).
Comparar faz bem.

Teto de gastos


Aprendi "teto de gastos" com minha Mãe, Dona Lindú. Se sobrasse alguma coisinha no final do mês, a gente gastava, Se sobrasse mais que uma coisinha, a gente guardava para usar num imprevisto (assim fizemos nos nossos governos e aumentamos nossas reservas internacionais de 30 bi para 378 bilhões de dólares, 12 vezes mais). Se não sobrava, a gente não se endividava. Isso era teto de gastos para sobrevivência familiar.  Porém, um governo que faz "teto de gastos" para não investir em Saúde, Educação, Segurança, Cultura, etc para melhorar a vida do seu povo é irresponsável, incompetente.

Lula presidente 2022

Economia brasileira

Uma maneira simples e direta de mostrar o principal problema brasileiro, a desigualdade. Confira abaixo a genial charge.


 Lula presidente 2022

Não a privatização da Eletrobras

Governo incompetente, corrupto e entreguista sub avalia e Eletrobras 46 bilhões a menos do que ela vale. 
Além de crime de lesa-pátria, se desfazer do patrimônio construído com o suor e impostos dos brasileiros para beneficiar meia dúzia de bilionários é de uma burrice insana. 

Energia deve ser questão de Estado. O mercado somente visa o lucro.

Ainda tem idiota que acredita no lero-lero que o preço vai baixar?

Tá comprando gás de cozinha de 39 reais?

Xuxa se recusa a tirar foto com fã bolsonarista

Lulaverso

Bom dia petezada, vamos criar conteúdos para pré-campanha do companheiro Lula. Pode ser artigos, imagens, fotos, memes etecetera. Também é muito importante a gente alertar para votarmos preferencialmente em candidatos a Câmara Federal e Senado que integrem a Federação Fé Brasil (PT, PCdoB e PV). Essa regra deve ser aplicada da mesma forma nos estados, votando em candidatos a governador e deputados estaduais aliados e afinados com o programa de Lula.

Boa tarde!

O antes. O depois

Antes do golpe
Filhão, cadê tu? Vem receber o que o papai trouxe pra você. Aproveita que Páscoa só tem uma vez no ano.
Depois do golpe 
Filho, cadê tu? Vem receber os ovos que o pai trouxe pra você. Se prepara que vai ter o ano todo, se Deus quiser. 
Jota Camelo 

Artigo do dia, por Luis Nassif


Xadrez da crise das democracias e a volta de Lula - o papel de exímio articulador do ex-presidente Lula, ganhará enorme importância com o uso recorrente das redes sociais, a transparência é essencial. Cada vez mais, será fundamental que todos saibam o que todos estão fazendo, para que a reconstrução nacional ganhe a consistência e visibilidade necessária.

GGN - 

Peça 1 – os modelos de capitalismo

Os estudos do economista russo Sergey Glazyev são o que de melhor li recentemente, sobre a luta ideológica por trás da disputa Estados Unidos x China. Aqui, um resumo de suas ideias: “Xadrez da nova ordem mundial e do fim do império do dólar”.

São dois modelos capitalistas, ambos em torno das duas entidades centrais: a burocracia estatal e os bilionários, oligarcas ou o nome que se dê a essa articulação do grande capital. A diferença entre o modelo americano e o chinês se dá na maneira como os dois poderes hegemônicos se relacionam. Os demais atores são secundários, demais poderes de Estado, cidadãos, trabalhadores, empresas e setores fora do circuito do poder.

No modelo americano, há uma simbiose entre os dois grupos – a alta burocracia e as grandes corporações – , com as grandes empresas representando a extensão do poder do Estado. É comum a porta giratória – o alto funcionário indo trabalhar na empresa que ele regulava -, assim como a parceria nas grandes operações internacionais. Vide as relações com o Pentágono dos grandes escritórios de advocacia a quem a Lava Jato entregou as grandes estatais brasileiras. Ou a absoluta naturalidade com que se aceita que o mais radical falcão americano, o Secretário de Estado Antony Blinken, seja investidor da indústria de armas. 

Essa promiscuidade criou uma corrupção intrínseca ao modelo, que comprometeu irreversivelmente seu dinamismo, conforme se verá a seguir.

No modelo chinês há uma separação entre as duas estruturas, com a preponderância da burocracia estatal.

Peça 2 – as diferenças nos modelos de desenvolvimento

Em ambos os casos – nos EUA e na China – , o desafio consiste no modo de administrar o terceiro elemento, a opinião pública, uma entidade difusa, composta de consumidores, pequenas e médias empresas, movimentos e setores econômicos que não integram o bloco de controle, o grande capital. O desafio consiste em dividir as sobras do banquete de maneira a manter o terceiro grupo sob controle.

No modelo chinês, a legitimação se dá pela inclusão social e redução da miséria. Por isso, há foco na produção de bens, na economia industrial e na geração de emprego. No americano, há a preponderância do capital financeiro, com foco total no corte de custos. 

No modelo chinês buscou-se o crescimento como única maneira de incluir a população e legitimar o regime. No americano, com o modelo já estratificado, a emissão de moeda se dispersou em bolhas especulativas. A China cresceu; os EUA estagnou. E a disputa pela hegemonia global é tema para outro artigo.

Peça 3 – as diferenças no modelo político

Outra diferença – também decorrente desse jogo – é no modelo político: o Ocidente com a democracia imperfeita e a China com sua autocracia.

Numa autocracia, tudo depende da cabeça do ditador ou do grupo de controle. No caso da China, há uma autocracia esclarecida.

A democracia imperfeita tornou-se o símbolo do modelo ocidental pela óbvia razão de permitir um controle efetivo sobre o jogo político. Desde o século 19, há alianças entre o grande capital, imprensa, Judiciário e política, modelo mais previsível que a cabeça do ditador de plantão, ainda que aliado.

O capital se articula internacionalmente a partir dos centros financeiros centrais – em fins do século 19, a banca londrina; depois, Wall Street – em parceria com os capitais nacionais.

No século 20, a entrada dos grandes grupos internacionais no Brasil se deu com dois movimentos simultâneos: trazendo suas próprias agências de publicidade (influenciando a mídia) e contratando grandes escritórios de advocacia. E, obviamente, montando as parcerias com os grupos nacionais.

Os nacionais são relevantes para garantir o poder político e jurídico e identificar os grandes negócios públicos locais. 

A conquista do poder político depende da cooptação de um partido político, do financiamento de parlamentares e do apoio de três instituições democráticas essenciais: mídia, Judiciário e poder militar.

São a elas que recorre quando o ritmo da inclusão coloca em risco o controle do poder político. No Brasil esse pacto foi nítido nos golpes de 1954, 1964 e 2016.

A retórica política é sustentada pelos financistas (como eram denominados no final do século 19 os economistas de mercado). 

A retórica é a mesma de cem anos atrás:

  • Trata todas as benesses do mercado como se fossem princípios científicos universais.
  • No oposto, demoniza qualquer gasto social como populismo que impede o funcionamento eficiente da economia.
  • Mantém acesa a fantasia do pote-no-final-do-arco-íris, com a fábula da lição de casa. Se os sacrifícios propostos forem aceitos, o resultado final será bom para todos.
  • A cada ano de promessa não-cumprida, levanta o argumento de que o sacrifício foi insuficiente e relaxar a lição de casa significará desperdiçar todo o sacrifício anterior.
  • Fantasia os casos de sucesso individual, como se fossem disponíveis a qualquer um.

Peça 4 – a superexploração e a crise das democracias 

Quando exagera-se na superexploração, a reação contra o regime torna-se ampla e resultado – como no início do século – é a eclosão de formas alternativas de regime, como o nazi-fascismo e o comunismo. 

Os horrores da guerra trouxeram um período de bom senso, em que se procurou reduzir a superexploração do período anterior. Houve um controle maior dos fluxos financeiros, estabilidade nas moedas nacionais e investimento em desenvolvimento econômico. Foi o período de maior prosperidade da história moderna até a volta do velho modelo no governo Richard Nixon, com o fim do acordo de Bretton Woods.

Paradoxalmente, grandes personagens dessa revolução humanista foram cientistas brasileiros tratados como subversivos pelo regime militar – Celso Furtado, Paulo Freire, Josué de Castro, Anísio Teixeira (cujo modelo pedagógico serviu de base para a Coréia do Sul).

O modelo de desenvolvimento ocidental consolidou-se, então, em cima dos seguintes princípios:

  1. Ritmo lento e gradual de incorporação dos vulneráveis, de maneira a controlar as pressões das massas.

No caso brasileiro, o movimento é lentíssimo. Só agora a questão racial veio para primeiro plano. As cotas raciais não têm 15 anos e foram conquistadas a fórceps.  Os movimentos dos sem-terra ainda são criminalizados, assim como o dos sem-teto. Os direitos das mulheres só são reconhecidos em ambientes mais modernos.

  1. Políticas sociais superficiais

Direito à saúde, educação, segurança e alimentação deveriam ser conquistas universais. Riquezas do subsolo, exploração das terras, mercado interno deveriam ser tratados como bens públicos e as rendas derivadas distribuídas de maneira a permitir a universalização dos direitos. Nas democracias imperfeitas, sáo substituídos por placebos, políticas sociais restritas. Só a partir dos anos 2.000 o Brasil ousou políticas sociais um pouco mais amplas, desmontadas com o golpe do impeachment.

  1. Inclusão política lenta.

Apenas no final dos anos 80 houve a liberação que deu a conformação aos novos partidos políticos, permitindo pela primeira vez um partido de sindicalistas.

  1. Algumas pausas para redução da superexploração

Em geral, ocorrem após grandes tragédias ou grandes períodos de compressão social. Foi o caso da Constituinte brasileira após o período profundamente anti social da ditadura. Ou no período lulista, após a financeirização do período fernandista e das crises após-1999.

Peça 5 – a eterna República Velha

O aumento da desigualdade econômica, devido à extrema financeirização da economia, no período fernandista, e da crise pós-1999 trouxe ameaças concretas ao modelo. O interregno Lula foi uma bóia de salvação para a estabilidade política do país. Soube aproveitar o boom das commodities e, sem comprometer os ganhos do mercado, implementou políticas sociais eficientes, tirando o país do mapa da fome e abrindo espaço para formas democráticas de militância social – como o Movimento dos Sem Terra, o Movimento dos Sem Teto, os recicladores de lixo, as pequenas e microempresas – e algumas políticas desenvolvimentistas de sucesso relativo.

Foi movimento similar ao pré-1964, com um partido trabalhista ascendendo politicamente, um grupo de intelectuais humanistas, uma redução, ainda que tímida, das desigualdades sociais e movimentos se organizando para o jogo democrático. 

O resultado seriam políticas mais inclusivas, fortalecimento da democracia brasileira – com a inclusão política de novos grupos -, fortalecimento do desenvolvimento – com ampliação do mercado de consumo e redução da superexploração.

Não é por outro motivo que Lula se tornou um símbolo da paz mundial e da estabilidade democrática, inclusive nos mercados internacionais, à altura de um Mandela.

Se, em ambos os casos, 1964 e 2016, não havia ameaças ao regime – a não ser como retórica para a oposição -, e um arrefecimento da superexploração, essencial para a estabilidade do modelo, qual a razão dos golpes de Estado? Aí entra a faceta mais atrasada do país, a síndrome da República Velha. De um lado, o preconceito social arraigado, contra qualquer forma de trabalhismo. De outro, negócios! E um componente externo das grandes disputas geopolíticas globais, expresso na política anticorrupção da OCDE e do Departamento de Estado.

A “Ponte para o Futuro” – implementada por Michel Temer – nada mais foi do que o passaporte para os grandes negócios públicos e o desfecho de uma operação, a Lava Jato, que juntou os três grupos centrais de aliança do grande capital – mídia, Judiciário e Forças Armadas -, mais o Departamento de Estado americano.

A maneira como o Supremo Tribunal Federal convalidou o desmonte da Petrobras, perpetrado pelo Centrão, é uma das peças mais ilustrativas da irresponsabilidade institucional brasileira. Não analisou o papel da empresa no desenvolvimento tecnológico do país, nas cadeias de produção, na segurança energética, no desenvolvimento de novos setores. 

O mesmo ocorreu com a reforma trabalhista, na qual se quebraram as pernas dos sindicatos e das ações trabalhistas. Em vez de uma modernização da legislação, necessárias para as novas formas de contrato, o STF enfraqueceu radicalmente a representação trabalhista em uma fase de tecnologias eliminadoras do emprego.

Mais que isso, graças a “iluministas” como Luís Roberto Barroso, houve o fortalecimento quase irreversível da ultradireita, da anticiência, da apropriação do orçamento público pelo Centrão e da ameaça recorrente a golpe de Estado por um presidente ligado aos porões da ditadura.

Peça 6 – a radicalização como apelo político

Nos próximos anos, haverá dois desafios pela frente. O primeiro, o de tirar o país das mãos do crime organizado. O segundo, o de administrar uma agenda de conciliação.

Não será fácil.

O fracasso da democracia, expressa no golpe do impeachment, fortalecerá enormemente o discurso radical da esquerda. E a crise internacional impedirá o jogo do ganha-ganha que marcou o primeiro pacto do lulismo. 

Depois do período de carência, haverá enorme pressão sobre o governo, não apenas pelos conservadores, mas também pelos progressistas.

Lula já se impôs dois desafios: tirar o controle do mercado sobre a política econômica e colocar o pobre no orçamento. Não é tarefa trivial, mas não basta. O caminho a ser percorrido será o do aprofundamento da democracia em todos os níveis. 

A construção das políticas econômicas terá que ser amplamente participativa, para poder consolidar o grande pacto nacional.

A economia industrial terá que retomar os grandes pactos entre setores industriais e centrais sindicais. Na gestão da economia, entender o país como uma federação e os municípios como os entes federados centrais. Terá que convocar fóruns de secretários do planejamento, da educação, da assistência social na formulação das grandes políticas públicas.

As pequenas e micro empresas têm que ser prioridade, através da articulação do Sebrae com institutos de pesquisa e com grandes empresas, a exemplo do Movimento Empresarial pela Inovação. As políticas sociais precisam incorporar a tecnologia social desenvolvida pelo MST e MTST.

O descrédito a que a democracia foi jogada pela ação conjunta do Judiciário-Mídia-Forças Armadas-Congresso exigirá ideias claras e ações objetivas. Senão a polarização se tornará irreversível.

O papel de articulador, de Lula, ganhará enorme eficiência com o uso recorrente das redes sociais. Cada vez mais, será essencial que todos saibam o que todos estão fazendo, para que a reconstrução nacional ganhe consistência e visibilidade.

Nota do PT, PCdoB e PV sobre Federação

 Nota à imprensa — PT, PCdoB e PV registram a Federação Brasil da Esperança — FE Brasil

As direções dos três partidos registram hoje, 18 de abril, o Estatuto da Federação (FE Brasil). O documento foi aprovado ontem.

A Assembleia Geral da Federação, órgão máximo de deliberação, será composta por 60 membros, sendo 9 vagas distribuídas igualmente (3 por partido) e 51 distribuídas na proporção dos votos obtidos por cada partido nas eleições para a Câmara dos Deputados de 2018.

As deliberações da Assembleia Geral serão tomadas por maioria de três quartos de seus membros.

Na composição da Assembleia Geral, cada partido terá de indicar no mínimo 30% de mulheres e no mínimo 20% respeitando o critério étnico-racial.

A Comissão Executiva Nacional da Federação terá 18 membros. Os presidentes de cada um dos partidos são membros natos da comissão e as outras 15 vagas seguirão à proporção dos votos obtidos na eleição para a Câmara de 2018.

A primeira presidenta da FE Brasil será a deputada Gleisi Hoffmann (PT); a primeira vice-presidenta, Luciana Santos (PCdoB), e o segundo vice, José Luís Penna (PV).

O mandato é de um ano, com rodízio entre os presidentes de cada um dos partidos, podendo haver recondução por decisão unânime.

Os partidos da FE Brasil atuarão em conjunto no Congresso e na sociedade para promover a reconstrução do país, a defesa da soberania nacional, da democracia e dos direitos do povo, para fortalecer a candidatura do presidente Lula e sua base parlamentar.


Quero bis

Desse jeito somente sendo idiota ou bilionário para não querer o país quebrado novamente...

6 anos do golpe contra Dilma, nada a comemorar

Tudo para se envergonhar. Um bando de ladrões, golpistas e entreguistas cassaram uma presidenta honesta para um porco ser eleito presidente e todos eles comerem propina a granel no grande cocho abastecido com verbas para o orçamento secreto e demais maneiras que possam. Recordem o discurso histórico que Dilma Rousseff fez em 17 de abril de 2016 na Câmara dos deputados: 

Feliz Páscoa

Quem fez uma ceia somente com pão e🍷 e permanece sendo homenageado depois de dois mil anos é digno de toda honra e glória. Feliz Páscoa pra todos vocês. 

Meme dominical

E conhecereis a verdade daqui a cem anos e ele me desmentira. E daí? Já estou morto mesmo.

Crise gera saque no Rio de Janeiro e assusta o país

Rio de Janeiro - o caso aconteceu ontem (17/04) as 20 horas, no bairro Inhaúma, zona norte da cidade, vizinho ao Complexo do Alemão. Muitas pessoas lembraram da década de 80, quando aconteceram vários saques a supermercados por causa da crise econômica no período.

A miséria vem a galope e quem está realmente com fome não tem como esperar, e não vai morrer de braços cruzados vendo prateleiras cheias de alimento.

O alerta foi dado.

 


Carlos Bolsonaro chama o pai de Palhaço

 

Hoje de manhã cedo Carlos Bolsonaro publicou uma sequência de tuítes sem pé nem cabeça, o que combina com os fanáticos que apoiam a famiglia nonsense. Confira abaixo os delírios matinais do Carluxo:

  1. "A tentativa diária de absorver os eleitores do BOZO se descolando do BOZO vai muito além da vaza jato. Isso é cristalino e óbvio. Ninguém é cego! Chega disso! Ainda há tempo para todos sem problema algum, e jogando na bola o Brasil ganha!”, comentou Carluxo."
  2. "Não há donos da verdade. Me dirijo aos que têm bom senso, pois os que ignoram o possível sombrio futuro do Brasil e podem ter seus planos de maneira muito mais confortável e que se utilizam da inocência dos que sofrerão as reais consequências é algo que não me parece justo"
  3. "A utilização de discursos fáceis a essa altura do campeonato é algo notoriamente desleal e se eximir desse processo só mostra que alguns estão preocupados somente com seu próprio ego e não com o que poderia minimizar os catastróficos impactos das variáveis políticas postas".
O baixo nível dessa gente é incrível. Mais incrível ainda é a quantidade de admiradores e seguidores nas redes sociais. Sinceramente, não imaginava que no país tivesse tantos idiotas.

Combate a corrupção

  •  Em 2003, primeiro ano do governo Lula, é criada a CGU - Controladoria Geral da União -.
  • Em 2004, a CGU lança o Portal da Transparência do governo federal.
  • Em 2011 Dilma Rousseff sanciona a Lei de Acesso a Informação, proposta pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT/MG).
  • Em 2013 a Lei da delação premiada é sancionada (o uso que a Quadrilha de Curitiba fez dela foi criminoso), não a aprovação.
  • O Procurador-Geral da República é escolhido pela maioria do MPF - Ministério Público Federal -, o mais votado é indicado por Lula e Dilma.
Peço que os verminosos deixem nos comentários as leis de combate a corrupção que o verme-mor aprovou nesses 3 tristes anos.


Sem investigação?...

Não tem corrupção

 

Inflação alta é resultado da irresponsabilidade de Bolsonaro

Iconografia da história

 Maria da Conceição Tavares, uma das maiores economistas do país, entrevistada no programa Roda Viva da TV Cultura de São Paulo dá aula de economia e humanismo aos liberais de araque, que vivem esculhambando o Estado, mas vivem mamando nas tetas dele, desde que Pero Vaz de Caminha escreveu sua famosa carta. Confira um pequeno trecho da entrevista, abaixo:


Bom dia!

 Para começar bem o dia tái links de qualidade superior sobre todos assuntos do dia passado a limpo, explore à vontade:

Fagner denuncia vídeo falso de apoio a Bolsonaro

 


Raimundo Fagner pediu ao TRE/CE (Tribunal Regional Eleitoral do Ceará) que retire um vídeo falso em que ele aparece apoiando a candidatura de Bolsonaro a reeleição. 

O cantor e compositor cearense afirmou, "Ocorre que esse vídeo foi adulterado, sendo acrescido de uma música que impede a identificação do vídeo como sendo de 2018Além disso foi colocada uma montagem com os dizeres “Rumo a 2022” e “#Fechado com Bolsonaro”. Então trata-se de um vídeo grosseiramente adulterado, não produzido em 2022, não consistindo, portanto, em uma verdade."

Mentir é especialidade da milícia bolsonarista. 

Boa notícia para Lula: rejeição dele está caindo

Má notícia para Bolsonaro

Divulgados agora cedo, os dados sobre rejeição da última rodada da pesquisa PoderData mostram que, ao contrário do que parte da imprensa sugeriu, não há evidências de que possa estar havendo alguma erosão da candidatura do ex-presidente Lula, porque, como tenho insistido, a polarização faz com que essa eleição presidencial seja, antes de tudo, uma batalha de rejeições, seja a ele, seja a Jair Bolsonaro.

Lula teve 38% de declarações de que “não votaria de jeito nenhum” nele, seis pontos a menos (muito fora da margem de erro) do que o registrado há um mês atrás. Bolsonaro ficou nos mesmos 51% da pesquisa anterior, número que está em linha com o dos que consideram “ruim ou péssimo” o seu governo, 53%.

Nas respostas “é o único em quem votaria” e “poderia votar”, Lula soma 59% (44 e 15%, respectivamente), contra 45% de Bolsonaro (32 e 13%, em cada opção). Os quesitos “poderia votar” e “não votaria”, que aceitam várias respostas, explica o total maior que 100%.

A soma das decisões de voto cristalizadas na expressão “é o único em quem votaria” nos dois principais candidatos, que vai a 76%, considerada uma parcela de outros 10% que não votam válido (nulo, branco ou abstenção eleitoral real, não a “de cartório”, que tem muitas distorções) deixa algo em torno de 14% apenas dos votos flutuando e, pelo grau das rejeições, mais propícios escolher Lula que Bolsonaro.

Os números também ajudam a entender porque a estratégia do atual presidente é apostar na radicalização, no fanatismo e no medo. Ele quer e precisa consolidar sua base fiel, sem a qual não terá um ponto de partida para atrair os que, mesmo dizendo rejeitá-lo, possam recusar a escolha de Lula. Ou não foi assim com parte dos “moristas”?

A Lula, é preciso calma e prudência, para não se deixar alvejar pelo fogo da hipocrisia. Com o perdão pelo cacófato, é só a uma fé disforme o que tem Bolsonaro a agarrar-se, como se Deus fosse seu cabo eleitoral.

 por Fernando Brito - Tijolaço

Oração da sexta-feira Santa

ORAÇÃO DA SEXTA-FEIRA SANTA (15.04.22)

Querido Deus, Nós nos lembramos hoje, da dor e do sofrimento da cruz, e tudo o que Jesus estava disposto a suportar, para que pudéssemos ser libertos. Ele pagou o preço, um sacrifício tão grande, para nos oferecer o dom da vida eterna.

Ajude-nos a nunca menosprezar este grande presente de amor em nosso nome. Ajude-nos a ser lembrados do custo de tudo isso. Perdoe-nos por estarmos muito ocupados ou distraídos com outras coisas, por não reconhecermos totalmente o que você deu gratuitamente, o que você fez por nós.

Obrigado, Senhor, que por tuas feridas fomos curados. Obrigado que por causa de seu enorme sacrifício podemos viver livres. Obrigado porque o pecado e a morte foram vencidos e que o seu poder é eterno.

Obrigado por podermos dizer com grande esperança: “Está consumado…” Pois sabemos o que ainda está por vir. E a morte perdeu seu aguilhão. Nós te louvamos porque você está fazendo novas todas as coisas. Em Nome de Jesus, Amém!
por Orlando De Souza 

Plenária sindicalista com Lula

 


Charge da manhã

Vendedor: também tem esta aqui.
Soldado Zero: o que tu acha capitão?
Capitão Bolsonaro: Receeeebo!

Manchetes do dia passado a limpo

  •  Lula, vence no 1.º turno com 50,8% dos votos válidos (TSE) indica pesquisa Isto É/Sensus
  • Diretório Nacional do PT aprova indicação do PSB para Geraldo Alkmin ser companheiro de chapa de Lula
  • Presidente Bolsonaro impõe sigilo de 100 anos para encontros dele com pastores ouradores, vendedores de bíblias, construtores e reformadores de templos evangélicos flagrados pedindo propina 
O slogan desse desgoverno deveria ser: Sem investigação, não há corrupção


Pesquisa Sensus: Lula venceria no 1º turno

 Nova pesquisa Isto É/Sensus divulgada hoje, quarta-feira, 13 de abril mostra que o ex-presidente Lula seria eleito no 1.º turno com 50,8% dos votos válidos (forma que o TSE divulga o resultado da eleição). Vamos aos números:

  • Lula (PT) 43,3%
  • Bolsonaro 28 (PL) 28,8%
  • Ciro Gomes (PDT) 6,3%
  • João Dória (Psdb) 2,6%
  • André Janone (Avante) 2%
  • Vera Lucia (Pstu) 1,1%
  • Simone Tebet (MDB) 0,8%
Foram entrevistados 2.000 (dois mil) eleitores (as) entre os dia 8 e 11. A margem de erro é de 2 p.p.

Bolsonaro decreta sigilo de encontro com pastores

Oh, governo Onesto...coloca tudo sob sigilo.

#Fortaleza296anos

 

Parabéns,querida Fortaleza. Completando hoje 296 anos de uma bela história de lutas e conquistas. Cidade acolhedora e de povo lutador. Um grande e fraterno abraço a todos irmãos e irmãs fortalezenses, abraço que se estende a todos aqueles que adotaram nossa capital como terra sua terra natal. Parabéns!

Véio da Havan falou o que quis, ouviu o que não quis

Proponho a criação de mais um Estado no Brasil para abrigar todos os esquerdistas, e que lá possam viver livremente utilizando todas as suas potencialidades e cultura... Continue lendo no Blog do Briguilino>>>  


Combate a corrupção x combate a investigação

 

Twitter da manhã

 

Quem chama o verme de "Mito" é caso perdido, nem perca seu tempo tentando colocar alguma racionalidade na cabeça dele. Certamente uma pessoa que considera o imundo um mito é alguém absolutamente sem noção, não tem nemhum senso da realidade. Triste!

Artigo de Luiz Azenha

COMPANHEIRO GERALDO

Leio postagens aguerridas de gente de esquerda dizendo ser inaceitável a chapa Lula-Alckmin.

Na minha modesta opinião, algumas delas partem de pressupostos falsos:

1. O PT nunca foi um partido revolucionário, pelo contrário, buscou a mesma saída eleitoral do Allende, sujeita às mesmas contradições;

2. Na prática, Lula e Dilma no poder gerenciaram o neoliberalismo herdado do FHC; como definiu o André Singer, promoveram "reformismo fraco", ou o "melhorismo" na definição do Plinio de Arruda Sampaio;

3. Especialmente depois da chegada do Lula ao Planalto em 2002, o PT se tornou um partido de mandatos, abraçando o marketing eleitoral e se afastando cada vez mais dos movimentos sociais;

4. Ficou claríssimo depois da prisão do Lula que o PT é um partido do establishment, que joga pelas regras do jogo;

5. O PT, depois de 2002, não trabalhou para romper a eterna lógica de que as principais decisões no Brasil são tomadas em acordos nos bastidores de Brasília, não nas ruas; é o eterno "pacto das elites".

O que quero dizer é que, se você espera de um partido algo que ele não se propõe a fazer, talvez seja o caso de considerar que o problema está em suas expectativas...

Eu entendo perfeitamente o xadrez do Lula.

O acordão com o PSB permite a Lula sonhar com forte votação no primeiro turno, o que impulsionaria não só candidatos a governador em estados importantes, como São Paulo e Rio, mas também a formação de uma bancada federal para garantir a governabilidade.

O Congresso -- lembrem-se de Collor, Dilma e Bolsonaro -- faz e desfaz governos.

Tirar o Alckmin da disputa em SP faz crescer as chances de Haddad ou França e ajuda, sim, na votação da chapa presidencial no maior colégio eleitoral do país -- o que é essencial para somar à vantagem esperada no Nordeste.

Alckmin pode, sim, servir como uma espécie de escudo na disputa do segundo turno, quando é preciso desmontar a eventual frente antipetista que Bolsonaro vai tentar montar contra Lula, atraindo os eleitores de Moro, Ciro e da chamada terceira via.

Não se esqueçam que Bolsonaro, com um general de vice, será o candidato oficial das Forças Armadas, que não vão entrar numa disputa eleitoral para perder.

Finalmente, a adesão de Alckmin serve como exemplo prático de que o PT está disposto a cortar na própria carne para promover a chamada "união nacional", tão sonhada por muitos eleitores que se dizem cansados da polarização.

Portanto, eu diria que, do ponto-de-vista estritamente eleitoral, a chapa Lula-Alckmin faz sentido.

Se a chapa fosse Lula-Boulos as chances eleitorais ficariam comprometidas pela perda dos eleitores de centro, do eterno PSD, aqueles 20% (por aí) que acabam sendo o fiel da balança em disputas majoritárias.

Já sobre um governo Lula-Alckmin, impossível prever como vai funcionar a geringonça tucano-petista. 

As condições econômicas do Brasil estão bastante deterioradas e, desde já, é preciso não ter a ilusão nem mesmo de que voltaremos ao tal "reformismo fraco".

Isso, se Bolsonaro não conseguir bombar o antipetismo no segundo turno e garantir uma improvável, mas possível reeleição.

Adoção de pet

Estou aceitando pet para adotar, pode ser camarão, tilapia, salmão, atum ou bacalhau. Quero adotar o mais rápido possível, é que desejo passar a semana santa com eles. É muito amor envolvido... ah basta avisar e vou buscar. Desde já agradeço. 

Policial civil detona bolsonaro

 

Lula e os debates

 

Parlamento progressista

 

Temos de eleger parlamentares (deputados federais e senadores) progressistas e comprometidos com nossas ideias e ideais porque tudo que queremos fazer precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional. Somente faremos a contra-reforma da previdência e trabalhista se tivermos uma maioria sólida e confiável na Câmara e no Senado. Também devemos eleger governadores aliados. Pense nisso antes de depositar o seu voto na urna. Bom dia!

Vídeo do dia

 A bandeira do Brasil é nossa. A seleção brasileira é nossa. A Petrobras é nossa. A amazônia é nossa. Jamais serão daqueles que traíram o país. Boa sexta-feira para todos nós que amamos o Brasil. #Xoentreguistas

Tráfico de influência

 


Milton Ribeiro, ex-ministro da educação confirmou em depoimento a PF (Polícia Federal) que atendendo a pedido do presidente Jair Bolsonaro recebeu os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, ambos da Assembleia de Deus. 

Os pastores são acusados por 10 prefeitos de cobrar propina para liberar verbas do MEC (ministério da educação). Pedido de propina ia de dinheiro e, especie a compra de bíblias, construção de templos e quilo de ouro. 

Estes religiosos ouram bastante.

Amém?...