Antiraças

Todas vitórias do PT foram com vice do Centro

 Marcos Coimbra, fundador do instituto de pesquisa Vox Populi lembrou aos pitaqueiros esquecidinhos que "Todas as vitórias do PT em eleições presidenciais foram com vice de partidos de Centro". Ele também lembrou que "Todas as vezes que o PT concorreu com um vice da Esquerda, perdeu".

Brasil 247 - Presidente do Instituto Vox Populi, empresa especializada em pesquisas de opinião, Marcos Coimbra afirmou à TV 247 que não há “nada de estranho” na formulação de uma possível chapa presidencial para 2022 encabeçada pelo ex-presidente Lula (PT) e composta pelo ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB).

Ele lembrou que o retrospecto eleitoral do PT dá sustentação para a composição de uma chapa entre a sigla, de esquerda, e outro partido de centro ou centro-direita. “O PT disputou todas as eleições com candidato próprio. Todas as vezes que o PT concorreu com um candidato a vice na esquerda, o PT perdeu a eleição. Todas as quatro vitórias que o PT obteve ele teve vices de partidos de centro. É mais ou menos de se esperar que uma pessoa com a experiência do Lula se lembre dessa história”.

Coimbra lembrou que os vices de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff, José de Alencar e Michel Temer, sempre estiveram no campo da centro-direita e que, segundo ele, isso nunca foi motivo de discussão ou de desconfiança. “O Lula venceu as duas eleições que disputou com o candidato a vice que vinha da centro-direita conservadora. Dilma teve como candidato a vice o Michel Temer, e a costura para levar o Temer a ser vice da Dilma foi feita com grande presença do Lula, especialmente em 2010. Quem conduziu as negociações políticas foi o presidente Lula. Então o Lula, hoje, está pensando em um desenho parecido. Não tem absolutamente nada de estranho. Na verdade, ele está pensando em um desenho parecido, mas trabalhando com a hipótese de ter como candidato a vice um dos políticos com a história mais longa na administração do maior estado da federação [São Paulo]. Alckmin é o político que mais tempo esteve no governo do estado desde a proclamação da República. Não tem nada de esquisito. O Lula não está dando marcha ré, se entregando aos braços da direita, porque os dois melhores governos da história moderna brasileira foram os governos do Lula, tendo como vice um empresário conservador, vinculado a um partido de centro-direita [PL]”.

Marcos Coimbra, Alckmin e Lula


2 comentários:

Pat Letras disse...

Pensei em desistir, mas não dá. Os analistas aqui na maioria tem uma situação financeira confortável e estão presos em 1990. O PT é centro. Não tem que ficar com medo disso. Tem que ficar com medo é de ter uma contingência de saúde e entregar de bandeja para alguém que os eleitores não querem. O Lula pode sair abraçando quem ele quiser depois das eleições. Aliás porque o Lula não deixa a Gleisi Hoffman ou o Haddad de cabeça de chapa e fica ele Lula de vice? Haddad já foi pro segundo turno mesmo, mesmo com uma vice inexpressiva. Lula tem a idade do José Alencar agora. Chapa Lula-Alkimin é chapa idosos. O Brasil mudou, agora, 2022, gente ia votar com esperança. Mas Alkimin elimina a esperança. É balde de água fria. E o principal: não precisa. Os eleitores não são vocês jornalistas do 247, os eleitores não têm renda, os eleitores não são classe média alta. Os pobres também elegeram o Bolsonaro por empolgação. Alkimin não só está idoso, como não dá nenhuma empolgação em ninguém. Lula tem de reconhecer que ele é fofinho mas para se eleger é necessário mesclar as idades para conectar melhor. Lula é Centro. Coloca Lula de vice.

Paulo Roberto dos Reis Marques disse...

Vocês acham que a inutilidade do Alkimin é algo óbvio assim? O tema cresce, então, de alguma forma, faz sentido na cabeça das pessoas - concordando ou não. Uma pergunta é: você, Zek, banca, se responsabiliza (ria) por rifar o Geraldo, ou outra aliança diante do " Bolsonaro como adversário" como você diz? Com este bando de "cavalheiros" "adversários leais" na disputa política? Pelo visto, para você, infelizmente é este bando de "escribas filiados e simpatizantes" (no qual me incluo) é que terão de fazer esta escolha trágica. De qualquer forma, se não tem como apresentar uma conjuntura com correlação de forças favorável (lacrante) para o campo popular. algo que possamos apresentar o famoso "ou dá ou desce". não dá para levar um vice na algibeira do colete. Vc acha que não escolhe o Boulos porque não gosta? Porque desconfia? Ou porque não dá?
Respeito e discordo de sua posição (reconheço que não há nada certo). Mas a minha ou a sua posição não têm a menor importância diante da famosa "correlação de forças" - se estivermos bem. muito bem. teremos um bom vice; se não, um vice não tão bom. E dane-se os "manuais" ou "nossa vontade",